NR 18 e suas aplicações para andaimes e acessórios

NR 18 e suas aplicações para andaimes e acessórios
NR 18 – CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO
18.15 Andaimes e Plataformas de Trabalho (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001)
18.15.1 O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de sustentação e fixação, deve ser realizado por profissional legalmente habilitado.
18.15.1.1 Os projetos de andaimes do tipo fachadeiro, suspensos e em balanço devem ser acompanhados pela respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica. (Inserido pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011)
18.15.2 Os andaimes devem ser dimensionados e construídos de modo a suportar, com segurança, as cargas de trabalho a que estarão sujeitos.
18.15.2.1 Somente empresas regularmente inscritas no CREA, com profissional legalmente habilitado pertencente ao seu quadro de empregados ou societário, podem fabricar andaimes completos ou quaisquer componentes estruturais. (Inserido pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011)
18.15.2.2 Devem ser gravados nos painéis, tubos, pisos e contraventamentos dos andaimes, de forma aparente e indelével, a identificação do fabricante, referência do tipo, lote e ano de fabricação. (Inserido pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011)
18.15.2.3 É vedada a utilização de andaimes sem as gravações previstas no item 18.15.2.2. (Inserido pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011 – Vide prazo no Art. 2ª da Portaria)
18.15.2.4 As montagens de andaimes dos tipos fachadeiros, suspensos e em balanço devem ser precedidas de projeto elaborado por profissional legalmente habilitado. (Inserido pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011)
18.15.2.5 Os fabricantes dos andaimes devem ser identificados e fornecer instruções técnicas por meio de manuais que contenham, dentre outras informações: (Inserido pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011) a) especificação de materiais, dimensões e posições de ancoragens e estroncamentos; e b) detalhes dos procedimentos seqüenciais para as operações de montagem e desmontagem.
18.15.2.6 As superfícies de trabalho dos andaimes devem possuir travamento que não permita seu deslocamento ou desencaixe. (Inserido pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011)
18.15.2.7 Nas atividades de montagem e desmontagem de andaimes, deve-se observar que: (Inserido pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011) a) todos os trabalhadores sejam qualificados e recebam treinamento específico para o tipo de andaime em operação; b) é obrigatório o uso de cinto de segurança tipo paraquedista e com duplo talabarte que possua ganchos de abertura mínima de cinquenta milímetros e dupla trava; c) as ferramentas utilizadas devem ser exclusivamente manuais e com amarração que impeça sua queda acidental; e d) os trabalhadores devem portar crachá de identificação e qualificação, do qual conste a data de seu último exame médico ocupacional e treinamento.
18.15.2.8 Os montantes dos andaimes metálicos devem possuir travamento contra o desencaixe acidental. (Inserido pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011) 18.15.3 O piso de trabalho dos andaimes deve ter forração completa, ser antiderrapante, nivelado e fixado ou travado de modo seguro e resistente. (Alterado pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011)
18.15.3.1 O piso de trabalho dos andaimes pode ser totalmente metálico ou misto, com estrutura metálica e forração do piso em material sintético ou em madeira, ou totalmente de madeira. (Inserido pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011)
18.15.3.2 Os pisos dos andaimes devem ser dimensionados por profissional legalmente habilitado. (Inserido pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011) 18.15.4 No PCMAT devem ser inseridas as precauções que devem ser tomadas na montagem, desmontagem e movimentação de andaimes próximos às redes elétricas. (Alterado pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011)
18.15.5 A madeira para confecção de andaimes deve ser de boa qualidade, seca, sem apresentar nós e rachaduras que comprometam a sua resistência, sendo proibido o uso de pintura que encubra imperfeições.
18.15.5.1 É proibida a utilização de aparas de madeira na confecção de andaimes.
18.15.6 Os andaimes devem dispor de sistema guarda-corpo e rodapé, inclusive nas cabeceiras, em todo o perímetro, conforme subitem 18.13.5, com exceção do lado da face de trabalho.
18.15.7 É proibido retirar qualquer dispositivo de segurança dos andaimes ou anular sua ação.
18.15.8 É proibida, sobre o piso de trabalho de andaimes, a utilização de escadas e outros meios para se atingirem lugares mais altos.
18.15.9 O acesso aos andaimes deve ser feito de maneira segura.
18.15.9.1 O acesso aos andaimes tubulares deve ser feito de maneira segura por escada incorporada à sua estrutura, que pode ser: (Inserido pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011) a) escada metálica, incorporada ou acoplada aos painéis com dimensões de quarenta centímetros de largura mínima e a distância entre os degraus uniforme e compreendida entre vinte e cinco e trinta e cinco centímetros; b) escada do tipo marinheiro, montada externamente à estrutura do andaime conforme os itens 18.12.5.10 e 18.12.5.10.1; ou c) escada para uso coletivo, montada interna ou externamente ao andaime, com largura mínima de oitenta centímetros, corrimãos e degraus antiderrapantes.
18.15.9.1.1 O acesso pode ser ainda por meio de portão ou outro sistema de proteção com abertura para o interior do andaime e com dispositivo contra abertura acidental. (Inserido pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011) ANDAIMES SIMPLESMENTE APOIADOS
18.15.10 Os montantes dos andaimes devem ser apoiados em sapatas sobre base sólida e nivelada capazes de resistir aos esforços solicitantes e às cargas transmitidas. (Alterado pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011)
18.15.11 É proibido trabalho em andaimes apoiados sobre cavaletes que possuam altura superior a 2,00m (dois metros) e largura inferior a 0,90m (noventa centímetros).
18.15.12 É proibido o trabalho em andaimes na periferia da edificação sem que haja proteção tecnicamente adequada, fixada a estrutura da mesma. (Alterado pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011)
18.15.13 É proibido o deslocamento das estruturas dos andaimes com trabalhadores sobre os mesmos.
18.15.14 Os andaimes cujos pisos de trabalho estejam situados a mais de um metro de altura devem possuir escadas ou rampas. (Alterado pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011)
18.15.15 O ponto de instalação de qualquer aparelho de içar materiais deve ser escolhido, de modo a não comprometer a estabilidade e segurança do andaime.
18.15.16 Os andaimes de madeira somente podem ser utilizados em obras de até três pavimentos ou altura equivalente e devem ser projetados por profissional legalmente habilitado. (Alterado pela Portaria SIT n.º 224, de 06 de maio de 2011)
18.15.17 O andaime deve ser fixado à estrutura da construção, edificação ou instalação, por meio de amarração e estroncamento, de modo a resistir aos esforços a que estará sujeito. (Alterado pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011)
18.15.18 As torres de andaimes não podem exceder, em altura, quatro vezes a menor dimensão da base de apoio, quando não estaiadas. ANDAIMES FACHADEIROS
18.15.19 Os andaimes fachadeiros não devem receber cargas superiores às especificadas pelo fabricante. Sua carga deve ser distribuída de modo uniforme, sem obstruir a circulação de pessoas e ser limitada pela resistência da forração da plataforma de trabalho.
18.15.20 Os acessos verticais ao andaime fachadeiro devem ser feitos em escada incorporada a sua própria estrutura ou por meio de torre de acesso.
18.15.21 A movimentação vertical de componentes e acessórios para a montagem e/ou desmontagem de andaime fachadeiro deve ser feita por meio de cordas ou por sistema próprio de içamento.
18.15.22 Os montantes do andaime fachadeiro devem ter seus encaixes travados com parafusos, contrapinos, braçadeiras ou similar.
18.15.23 Os painéis dos andaimes fachadeiros destinados a suportar os pisos e/ou funcionar como travamento, após encaixados nos montantes, devem ser contrapinados ou travados com parafusos, braçadeiras ou similar.
18.15.24 As peças de contraventamento devem ser fixadas nos montantes por meio de parafusos, braçadeiras ou por encaixe em pinos, devidamente travados ou contrapinados, de modo que assegurem a estabilidade e a rigidez necessárias ao andaime.
18.15.25 Os andaimes fachadeiros devem ser externamente cobertos por tela de material que apresente resistência mecânica condizente com os trabalhos e que impeça a queda de objetos. (Alterado pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011)
18.15.25.1 A tela prevista no subitem 18.15.25 deve ser completa e ser instalada desde a primeira plataforma de trabalho até dois metros acima da última. (Inserido pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011) ANDAIMES MÓVEIS
18.15.26 Os rodízios dos andaimes devem ser providos de travas, de modo a evitar deslocamentos acidentais.
18.15.27 Os andaimes tubulares móveis podem ser utilizados somente sobre superfície plana, que resista a seus esforços e permita a sua segura movimentação através de rodízios. (Alterado pela Portaria SIT n.º 201, de 21 de janeiro de 2011)

Saiba como manter as ferramentas elétricas em bom estado

As ferramentas elétricas são equipamentos essenciais quando se deseja realizar manutenções gerais ou atuar em obras.

No entanto, quando não são conservadas em bom estado de funcionamento, estas apresentam, em primeiro lugar, um risco de segurança e, em segundo, podem afetar a produtividade daqueles que as utilizam. Logo, o custo de ferramentas elétricas portáteis adequadas e bem conservadas é considerado pequeno em comparação ao custo da perda de produtividade ou de um acidente resultante.

Pensando nisso, separamos algumas dicas para manter ferramentas elétricas em bom estado. Acompanhe!

Armazenagem

O armazenamento ideal deve ser um dos primeiros pontos a ser observado para manter as ferramentas elétricas em bom estado. Neste caso, os equipamentos devem ser protegidos da umidade e conservados em um local seco e em algum. Uma dica é conservar as embalagens do fabricante, geralmente caixas plásticas resistentes, pois elas auxiliarão também na hora de transportar as ferramentas para outros locais.

Tomadas

As tomadas são um dos pontos mais abordados quando o assunto são ferramentas elétricas. Isto porque, no geral, os operadores costumam cortar as pontas de tomadas dos cabos das ferramentas elétricas de modo a tentar facilitar a ligação destas em qualquer ponto de energia. Vale ressaltar que este procedimento é errado e pode afetar a segurança tanto do operador, quanto de qualquer outra pessoa que esteja próximo ao equipamento. A melhor opção é fazer uso de uma extensão adequada, de modo a compatibilizar a ferramenta com o tipo de tomada que será utilizada.

Voltagem

A grande maioria das ferramentas elétricas atuais trabalha de modo bivolt, ou seja, funciona tanto em 110V quanto em 220V. Porém algumas delas como as  parafusadeiras, são somente 110V, e deste modo deve haver um cuidado quanto ao tipo de tomada que estas serão ligadas.

Limpeza

A limpeza é sem dúvidas um dos pontos mais importantes quando o assunto é conservar ferramentas elétricas e alguns fatores devem ser observados:

  • Desconectar as ferramentas da energia antes de realizar a limpeza;
  • Utilizar um pincel macio para limpar os resíduos de materiais que ficarem sobre o equipamento;
  • Quando possível, utilizar um compressor de ar para retirar os resíduos das ferramentas;
  • Limpar as entradas e saídas de ar das ferramentas elétricas de modo a mantê-las livres e evitar superaquecimentos em outras ocasiões de uso;
  • Utilizar uma flanela limpa para limpar toda a carcaça do equipamento;
  • Após a efetuar a limpeza, lubrificar as peças com óleo de máquina, de modo a evitar que estas venham a enferrujar com o tempo.

Acessórios

Além das ferramentas, os acessórios também merecem atenção para a conservação, já que estes também influenciam diretamente no desempenho e vida útil dos equipamentos.

Confira algumas dicas:

  • Manter a chave de mandril sempre presa à furadeira e em bom estado, de modo a evitar problemas com a fixação de brocas;
  • Manter serras e brocas afiadas para evitar forçar a ferramenta na execução de um trabalho;
  • Verificar o desgaste de parafusos de fixação das ferramentas com os equipamentos para evitar que se soltem durante o uso.

Substituição de peças

Assim como carros ou quaisquer outras máquinas, ferramentas são projetadas para o desgaste e a substituição de peças. Algumas peças devem ser trocadas conforme o tempo estipulado pelo fabricante, como por exemplos os rolamentos, anéis de isolamento, retentores, parafusos de aperto entre outros.

Neste caso, é importante acompanhar as informações de troca destes itens no manual do equipamento, bem como contar com o apoio de uma empresa autorizada para realizar tais manutenções.

Revisão

Por mais que não se utilize regularmente algumas ferramentas, recomenda-se revisá-las ao menos uma vez no ano, para verificar a lubrificação das peças móveis, ressecamento e rachaduras de cabos e carcaças ou ainda a formação de ferrugem em áreas metálicas.

Pequenos cuidados diários podem fazer toda a diferença para manter uma ferramenta elétrica. Além disso, deve-se ter em mente que as instruções no manual de cada equipamento devem ser seguidas a risca para garantir a qualidade ao trabalho desempenhado e a segurança do operador.

Ficou com alguma dúvida? Escreva pra gente pelos comentários.

Fonte: http://www.blogdaobra.com.br/SAIBA-COMO-MANTER-AS-FERRAMENTAS-ELETRICAS-EM-BOM-ESTADO/